Pages

quarta-feira, 31 de julho de 2013

JOGO6-TREZE X BRASILIENSE



TREZE:
A derrota do Treze para o Fortaleza, a terceira seguida na Série C, aumentou a pressão da torcida sobre o técnico Vica. Apesar do resultado negativo, o treinador segue prestigiado entre os diretores do Alvinegro. O diretor de futebol, José Wilton, reafirmou a permanência do técnico no cargo.
 Vica é o treinador do Treze. Está conosco. Hoje mesmo fizemos uma reunião de duas horas e meia na parte da manhã. Todos tranquilos, conversamos, verificamos algumas dificuldades que ele está tendo. E tudo certinho, unidos como sempre, e Vica é o treinador do Treze Futebol Clube - disse o diretor de futebol José Wílton.
A diretoria alvinegra entende que o retrospecto do treinador ainda é positivo. Ele tem pouco mais de 49% de aproveitamento desde que chegou ao Treze, com nove vitórias, quatro empates e oito derrotas.
Ocupando a penúltima colocação no Grupo A, o Galo aposta nos dois jogos que fará em casa nas duas próximas rodadas para tentar afastar a má fase e reconquistar a confiança do torcedor. No domingo, o time recebe o Brasiliense, às 19h no Estádio Presidente Vargas e na quarta-feira pega o Águia de Marabá, também no PV.
Para o primeiro compromisso diante do seu torcedor, o comandante alvinegro sabe que não pode contar com o zagueiro Negretti, suspenso com o terceiro cartão amarelo Visando o duelo diante do time do Distrito Federal, o comandante alvinegro inciou nesta terça-feira a preparação no PV. Antes, Vica conversou com os atletas, onde pediu o máximo de comprometimento nas próximas partidas, para que o time possa deixar a zona de rebaixamento.

Depois do discurso do treinador, os jogadores participaram de um treino técnico em campo reduzido. A principal novidade do treinamento foi o meia Cristian, recuperado de uma contusão que o afastou dos três últimos jogos do time na competição. Assim, o atleta deve ter retorno garantido contra o Brasiliense.

BRASILIENSE:
Dois gols em cinco minutos e no final do segundo tempo. Foi assim, de forma eletrizante, que o Águia venceu o Brasiliense neste domingo, dia 28, em Marabá, no Zinho Oliveira, pelo placar de 2 a 1, em jogo válido pela sexta rodada da Série C do Brasileiro. O Jacaré saiu na frente com Laércio e segurava o resultado positivo até o final da etapa complementar, mas Danilo Galvão empatou nos 42 minutos e Fred virou aos 47.
Com o resultado, o time paraense ocupa agora a quinta colocação com o mesmo número de pontos de Luverdense e Cuiabá, perdendo nos critérios de desempate. Já o Brasiliense caiu na classificação geral do grupo A e está na sétima posição. Os dois times voltam a jogar no próximo domingo, dia 4. O Azulão enfrenta o Baraúnas e o Jacaré duela com o Treze, ambos fora de casa.
Águia melhor em campo, mas Brasiliense é quem abre o marcador

A primeira metade do primeiro tempo foi de dar “calo nos olhos”. As duas equipes não se entendiam em campo, erravam passes e não esboçavam qualquer criatividade em busca do gol. O cenário só mudou depois dos 20 minutos, quando o Águia se ajustou e começou a trabalhar as jogadas no meio-campo, principalmente com Junior Timbó e Diego Palhinha, fazendo com que a equipe do Brasiliense recuasse ainda mais.
O primeiro gol do jogo parecia amadurecer em favor do Azulão. Primeiro com o zagueiro Bernardo, que testou a bola na trave. Em seguida, Keno não aproveitou o rebote e chutou em cima de Baiano. O castigo veio no primeiro ataque do Jacaré. Laércio se antecipou ao cruzamento do companheiro e abriu o marcador: 1 a 0 Brasiliense. O Águia sentiu o gol e não conseguiu retomar ao mesmo ritmo de jogo.
Dois gols em cinco minutos
Atrás no placar, o técnico João Galvão tirou o lateral Ceará e colocou em campo mais um jogador de meio-campo: Flamel entrou com a missão de ajudar na criação e dar suporte aos demais companheiros de setor. Porém, até os 15 minutos da etapa complementar, todas as investidas do Águia encontravam a defesa e os volantes do Brasiliense bem postados em campo e faziam uma espécie de barreira.

Na reta final da etapa complementar, a partida seguia sem emoção. De um lado o Brasiliense tentava segurar o placar. De outro, o Águia desorganizado tentando o empate. Luiz Fernando, que entrara no lugar de Palhinha, levou algum perigo à meta adversária nas cobranças de bola paradas. O empate só saiu aos 42 minutos com Danilo Galvão de cabeça. A virada chegou com Fred, aos 47 minutos depois de confusão na área. 2 a 1 placar final.

TREZE

0 comentários: